TAVI - Implante de Válvula Aórtica Transcateter

Cardiovascular

Procedimento: TAVI - Implante de Válvula Aórtica Transcateter

TAVI - Implante de Válvula Aórtica Transcateter

A Estenose Aórtica é uma doença bem mais comum nos idosos. Ao redor de 4% das pessoas terão estenose aórtica após os 70 anos. O tratamento com TAVI - Implante de Válvula Aórtica Transcateter - trouxe uma nova oportunidade de tratamento para pessoas idosas ou frágeis.

 

A Estenose Aórtica é uma doença muito incapacitante e os medicamentos conseguem prorrogar a cirurgia somente por algum tempo. A cada descompensação que a doença acarreta, a qualidade de vida do paciente diminui, os medicamentos aumentam, as internações se tornam frequentes e o paciente torna-se mais limitado fisicamente. Cansaço para pequenos esforços e infecções pulmonares (pneumonias) se tornam rotineiras.

 

Os sintomas da estenose aórtica são cansaço (dispnéia), desmaios (síncopes) ou lipotimias (quase síncopes), dor no peito (angina) e arritmias. Quando esses sintomas aparecem, deve-se apressar em marcar a cirurgia.

 

O tratamento definitivo da estenose aórtica é sempre cirúrgico: seja por cirurgia aberta, por minimamente invasiva ou por TAVI. Tanto a cirurgia aberta convencional com a minimamente invasiva utilizam circulação extracorpórea. A circulação extracorpórea (CEC) é muito bem tolerada em jovens, mas idosos podem ter complicações da CEC como insuficiência renal, vasoplegia, coagulopatia e inflamação pulmonar.

 

O TAVI - Implante de Válvula Aórtica Transcateter - é a colocação de uma nova válvula aórtica no coração, biológica, com tratamento anticalcificante, através de uma pequena punção na virilha (TAVI femoral), pela ponta do coração (TAVI apical), ou por vias alternativas (subclávia ou carotídea). Virtualmente todo paciente pode receber uma TAVI por ao menos uma dessas vias.

 

O procedimento é rápido (de 1 a 2 horas) e o paciente sai conversando da intervenção. Habitualmente, passa uma noite na UTI e mais duas noites no quarto antes da alta. Dentro 7 ou 10 dias, já pode dirigir o carro. Em duas semanas já estará fazendo suas caminhadas. Dentro de um mês, atividades esportivas já podem ser liberadas.

 

Atualmente temos vários modelos de TAVI no Brasil: as próteses balão-expansíveis e outras auto-expansíveis. Esses dois tipos de TAVI têm indicações diferentes, conforme a anatomia do complexo valvar aórtico do paciente, tamanho do anel aórtico, altura das coronárias e intensidade.

 

Uma Angiotomografia de Aorta sincronizada do coração (protocolo TAVI) é convenção para indicar qual modelo é o melhor e mais adequado para cada paciente. A escolha e planejamento de um modelo adequado para cada perfil de paciente é fundamental para um procedimento de sucesso e boa recuperação.

 

Estudos recentes (Partner II e Partner III) confirmaram que a TAVI é indicada também para pacientes de moderado risco (escore STS 4-8%) e de baixo risco (escore STS menor que 4%).

 

 

Os convênios já autorizam TAVI?

 

Sim! Desde abril de 2021, nova portaria da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar), as operadoras de saúde devem autorizar TAVI para pacientes com mais de 75 anos com alto risco cirúrgico (risco STS>8% ou Euroscore>20%). Outros casos provavelmente necessitam ser judicializados.

 

 

Por que não usamos as TAVIs em todos os pacientes com Estenose Aórtica?

 

Não se indica TAVI em todos os pacientes com estenose aórtica pura porque a duração da prótese é incerta.

 

As próteses TAVI também recebem tratamento anti-calcificante semelhante àquele das prótese biológicas de longa duração utilizadas em cirurgias convencionais, mas o tempo de estudo dessas próteses é curto e não se permite afirmar que durariam o suficiente para o paciente.

 

Em outros casos, não é possível tratar completamente o paciente por TAVI. É o que ocorre quando há a presença de aneurisma de aorta ascendente, múltiplas coronárias doentes ou doença mitral com indicação cirúrgica. Esses pacientes são mais completamente tratados por cirurgia aberta (troca de válvula e da aorta ascendente, por exemplo).

 

Os pacientes com válvula aórtica bicúspide podem ser tratados com TAVI. Não são candidatos ideais pelo risco maior de vazamento periprotético (leak), mas novas próteses têm surgido com mecanismos anti-leaks.

 

 

Sou jovem com estenose aórtica e quero colocar uma TAVI! Pode?

 

É uma má idéia. Pessoas que sobrevivem à TAVI, algumas vezes podem implantar uma nova TAVI dentro da anterior mas é grande o risco de uma respiração aberta. A reoperação aberta de pacientes com TAVI consiste no explante/ retirada da TAVI e implante de uma nova prótese. Acontece que a retirada cirúrgica de uma TAVI é muito traumática pra aorta e cirurgia tem um porte muito maior, por vezes com reconstrução da aorta ascendente.

 

O procedimento de TAVI pode ser realizado por cardiologistas hemodinamicistas ou cirurgiões cardíacos, mas sempre decidido por um Heart Team - conceito atual de “time cardíaco” composto pelo hemodinamicista, cirurgião cardíaco, cardiologista, ecocardiografista e anestesista. Os hemodinamicistas podem realizar a TAVI pela Artéria Femoral (TAVI Femoral). O cirurgião cardiovascular pode oferecer o procedimento de TAVI Femoral, de TAVI Apical (ponta de coração) e também disponibilizar acessos alternativos (Subclávia e Carótida) para pacientes mais complexos.

 

Marque sua consulta com um cirurgião cardiovascular. Leve seu Ecocardiograma, tomografia de coração e o cateterismo, se houver. Discuta todas as possibilidades para seu caso (TAVI Femoral, Apical, Via Aorta, acesso alternativo, Cirurgia Minimamente Invasiva ou convencional).

 

Sua idade não é restrição para o tratamento. Você pode se beneficiar com esses novos recursos.

 

Consultas

Agende sua consulta.

Envie sua mensagem