Cardiologia e Cirurgia Cardiovascular

Publicações

Notícias e artigos sobre saúde, bem-estar, tratamentos cardiovasculares e medicina preventiva
Você sabe o que é Velocidade da Onda de Pulso (VOP)?

Você sabe o que é Velocidade da Onda de Pulso (VOP)?

A VOP é um importante indicador de risco de distúrbios cardiovasculares.

O que é velocidade da onda de pulso (VOP)?

 

Durante a sístole, o sangue sai do ventrículo esquerdo, entra na aorta e flui através dos vasos menores do sistema circulatório, até chegar às células. Durante sua contração, o ventrículo esquerdo faz ejeção de sangue na aorta e dilata a parede dessa artéria, gerando uma onda de pressão que se move com uma certa velocidade ao longo da árvore arterial. A velocidade desse movimento fornece uma medida da complacência arterial.

 

Com a idade, ou devido a alterações patológicas na parede arterial, esses vasos se tornam mais rígidos e a velocidade com que a onda de pressão se move pelo sistema aumenta.

 

Como é medida a velocidade da onda de pulso?

 

A velocidade da onda de pulso (VOP) pode ser medida de maneira não invasiva em humanos e de maneira simples, usando dois cateteres de pressão separados um de outro por uma distância conhecida. Por exemplo, medindo as pressões de pulso na artéria carotídea e na artéria femoral e o tempo necessário para que a onda de pulso cumpra a distância entre os dois pontos. O tempo que a onda de pressão leva para ir do cateter de pressão a montante até o cateter de pressão a jusante fornece o tempo de trânsito por pulso.

 

A VOP pode então ser calculada dividindo a distância pelo tempo de trânsito, fornecendo uma medida de saúde cardiovascular.

 

Por que medir a velocidade da onda de pulso?

 

A VOP é um importante preditor independente do risco de distúrbios cardiovasculares. Foi reconhecida pela Sociedade Europeia de Hipertensão como um indicador altamente confiável para morbimortalidade cardiovascular em grande variedade de populações adultas, incluindo idosos, pacientes com doença renal terminal, diabéticos e hipertensos.

 

Quais são as características da velocidade da onda de pulso?

 

Além das ondas de pulso clássicas, existem ondas de pressão refletidas que retornam ao coração no final do período sistólico. Quando as ondas de pressão se movem mais rápido pelas artérias, as ondas refletidas também se movem mais rapidamente no sentido retrógrado e isso causa um trabalho maior no sistema cardiovascular devido ao aumento da pós-carga no ventrículo, resultando em uma maior pressão sistólica necessária para superar essa pós-carga.

 

Os valores da VOP são afetados pela idade, sexo e pressão arterial e, portanto, devem ser ajustados para esses fatores. Esse exame prediz com razoáveis acertos eventos cardiovasculares futuros e mortalidade por todas as causas, independentemente dos fatores de risco cardiovascular convencionais.

 

Os valores médios normais levantados por um estudo clínico da VOP, segundo a idade, são:

 

    • De 10 a 19 anos de idade: 5,04 metros por segundo;

    • De 20 a 29 anos de idade: 5,86 metros por segundo;

    • De 30 a 39 anos de idade: 6,32 metros por segundo;

    • De 40 a 49 anos de idade: 6,86 metros por segundo;

    • De 50 a 59 anos de idade: 8,15 metros por segundo;

    • De 60 a 69 anos de idade: 8,47 metros por segundo;

    • De 70 anos em diante: 9,02 metros por segundo.

 

Em que condições clínicas a avaliação da velocidade da onda de pulso é aplicável?

 

A grande aplicação da avaliação da velocidade da onda de pulso é a arteriosclerose. O desenvolvimento da arteriosclerose é um continuum. Um vaso saudável vai sendo progressivamente afetado pelos fatores de risco 'tradicionais', além dos determinantes genéticos e ambientais. Ao longo dos anos, o crescente interesse na pressão arterial sistólica e na pressão de pulso como preditores de eventos cardiovasculares levou ao desenvolvimento de técnicas para avaliar a rigidez arterial. Uma técnica para avaliar a rigidez arterial, o determinante mais importante da hipertensão sistólica isolada relacionada à reflexão das ondas e pressão de pulso, é a medição da velocidade das ondas de pulso arterial. A VOP é medida de forma não invasiva e é o padrão-ouro para avaliação da rigidez aórtica e, assim, da aterosclerose.

 

A velocidade da onda de pulso é um preditor útil da doença vascular periférica e de doença cardiovascular, ambas comumente causadas por aterosclerose. Por outro lado, há diferentes métodos para avaliar a velocidade das ondas de pulso em vasos sistêmicos, mas nenhum é aplicável às artérias coronárias. Em pacientes sintomáticos, contudo, a VOP indica a gravidade da doença arterial coronariana.

 

As alterações na VOP também estão associadas à calcificação, estenose ou oclusão de grandes a pequenas artérias cerebrais. A doença cerebral de pequenos vasos é comumente observada em idosos e é reconhecida como principal contribuinte vascular para acidente vascular cerebral, comprometimento cognitivo e síndrome geriátrica.

 

 

Fonte: AbcMed. "Velocidade da onda de pulso - um indicador de morbimortalidade cardiovascular". Autorizado sob licença CC BY-ND 3.0 BR.

"O conteúdo disponível neste website tem caráter estritamente educativo e informativo. Seus artigos, matérias e notícias visam fornecer informações que possam auxiliar no esclarecimento de dúvidas em relação às medidas preventivas para saúde, exames diagnósticos, tratamentos e a problemas diversos relacionados com a saúde. Não é finalidade deste website, representando o médico Dr. Rodrigo Pereira Paez, a análise, comentário ou emissão de qualquer tipo de diagnóstico. Os conteúdos aqui apresentados não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de médicos, psicólogos e nutricionistas ou outros especialistas. Consulte sempre o seu médico. As imagens fotográficas das publicações, artigos, matérias ou notícias são meramente ilustrativas."

Rodrigo Paez
Rodrigo Paez

Formado pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) - Escola Paulista de Medicina e especialista em Cirurgia Cardíaca, Cardiovascular, Endovascular e Marcapassos. Adepto da cirurgia cardíaca minimamente invasiva é pesquisador do estudo multicêntrico Bypass, que reune os melhores centros de cirurgia cardíaca do Brasil.

  • Compartilhe este post