Cardiologia e Cirurgia Cardiovascular

Publicações

Notícias e artigos sobre saúde, bem-estar, tratamentos cardiovasculares e medicina preventiva
Estou com dor no peito. Pode ser colesterol alto?

Estou com dor no peito. Pode ser colesterol alto?

O colesterol representa perigo quando as taxas estão alteradas.

Quando o assunto é colesterol, diversas dúvidas vão surgindo. Confira a seguir uma explicação sobre o que é o colesterol, quais sintomas ele causa quando está alto e se ele causa dor no peito.

 

O que é o colesterol?

 

Você também treme só de ouvir a palavra “colesterol”? Saiba que não está sozinho. Porém, não precisa ter medo. A verdade é que o colesterol é uma partícula que carreia (ou seja, conduz) a gordura e é necessário ao organismo. O nosso corpo precisa dele para funcionar corretamente, já que ele participa da formação das membranas celulares e da produção de hormônios.

 

Podemos dividir o colesterol em “ruim” e “bom”. O primeiro (LDL) tem uma densidade baixa. Por isso, ao circular com o sangue para fazer as suas funções, pode se prender às paredes dos vasos sanguíneos, diminuindo o diâmetro e trazendo problemas, que falarei em um tópico adiante.

 

Já o segundo (HDL) tem a densidade alta e faz uma faxina pelas veias e artérias, juntando as gorduras que estão presas ali e levando-as para o fígado eliminar. Vale lembrar que o colesterol ruim é realmente “ruim” quando está acima do desejável. Em quantidades normais, ele não faz mal e é imprescindível para a saúde.

 

Quando devo me preocupar com o colesterol?

 

Se as taxas do seu colesterol estiverem dentro dos valores de referência para a sua idade, fique tranquilo que está tudo OK. No entanto, se estiverem altas, é bom buscar ajuda médica e nutricional para iniciar um tratamento para o controle delas, principalmente do LDL e do VLDL.

 

Na realidade, se o HDL, que é o bom, estiver abaixo do recomendado, também é necessário atitudes que promovam o seu aumento. Isso porque o seu efeito no organismo é justamente o de proteger o sistema cardiovascular. Lembra que ele faz uma limpeza nos vasos sanguíneos? Então, é por esse motivo que não adianta apenas ter o nível de colesterol ruim dentro do esperado. É interessante também ter o colesterol bom dentro do valor estipulado.

 

Quais são os sintomas do colesterol alto?

 

O colesterol alto é um dos distúrbios silenciosos. Isso quer dizer que ele não apresenta sintomas suficientes para ser detectado antes que aconteça algo pior, como um infarto ou um derrame. É por esse motivo que a recomendação é seguir um estilo de vida saudável e realizar check-ups periódicos para medir as taxas de colesterol com a frequência indicada pelo seu médico.

 

No entanto, em algumas pessoas, podem aparecer manchas na pele e algumas lesões que são relacionadas ao colesterol alto: os xantomas e os xantelasmas. Essas condições são como pequenas bolinhas que surgem em torno da boca, dos olhos e de outras partes do corpo. O que acontece é que raramente as pessoas associam esses sinais à hipercolesterolemia (colesterol alto).

 

Afinal, colesterol alto causa dor no peito? Como ele afeta o coração?

 

Respondendo à pergunta principal: sim, colesterol alto causa dor no peito. A explicação é bem simples. Quando há colesterol em excesso circulando no sangue, principalmente o do tipo ruim, ele se acumula nos vasos sanguíneos que levam nutrientes e oxigênio para todos os órgãos, inclusive para o coração.

 

Visto que o diâmetro dos vasos coronarianos, aqueles que nutrem o coração, fica reduzido, por conta do acúmulo de gordura, ou até mesmo totalmente comprometido, o fluxo de sangue para o músculo cardíaco é afetado, causando o temido infarto.

 

Está certo que esse processo pode levar algum tempo para acontecer. Porém, à medida que o colesterol é depositado nos vasos, placas de gorduras são formadas. Mesmo que elas não obstruam totalmente a passagem do sangue, o seu rompimento causa trombos, que limitam parcial ou completamente o fluxo sanguíneo, levando à dor no peito.

 

Como tratar o colesterol alto?

 

O tratamento do colesterol alto inclui a mudança nos hábitos de vida. O sedentarismo e a má alimentação são os principais fatores de risco. Além do mais, o tabagismo e o alcoolismo inflamam o organismo, que tem o seu funcionamento desregulado, incluindo o controle do colesterol.

 

O primeiro passo é adotar um estilo de vida mais saudável, com alimentação equilibrada e a prática regular de atividades físicas. Abandonar os maus hábitos também é muito importante. Fora isso, em alguns casos, também é preciso lançar mão do tratamento medicamentoso.

 

Independentemente de qual seja o método para regularizar as taxas de colesterol, ele deve ser avaliado e prescrito por médicos. Os especialistas, como cardiologista ou endocrinologista, farão o diagnóstico, as recomendações e o acompanhamento correto.

 

Lembre-se: o colesterol alto é uma doença silenciosa na maioria das vezes. Por isso, a visita periódica ao médico e os exames de check-up são fundamentais para prevenir essa condição ou descobrir a tempo de ter um tratamento eficaz antes de maiores complicações.

 

Como vimos, o colesterol alto causa dor no peito quando já está danificando as paredes dos vasos sanguíneos e o funcionamento do coração. Embora ele seja necessário para o bom trabalho do organismo, já que apresenta funções importantes, as suas taxas desreguladas prejudicam todo o sistema cardiovascular e o equilíbrio do corpo.

 

 

Fonte: Hospital Israelita Albert Einstein. "Colesterol alto causa dor no peito?". Por Dra. Fabiana Hanna Rached. Conteúdo Editado. Autorizado sob licença CC BY-ND 3.0 BR.
Fonte fotográfica: Designed by Freepik.

"O conteúdo disponível neste website tem caráter estritamente educativo e informativo. Seus artigos, matérias e notícias visam fornecer informações que possam auxiliar no esclarecimento de dúvidas em relação às medidas preventivas para saúde, exames diagnósticos, tratamentos e a problemas diversos relacionados com a saúde. Não é finalidade deste website, representando o médico Dr. Rodrigo Pereira Paez, a análise, comentário ou emissão de qualquer tipo de diagnóstico. Os conteúdos aqui apresentados não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de médicos, psicólogos e nutricionistas ou outros especialistas. Consulte sempre o seu médico. As imagens fotográficas das publicações, artigos, matérias ou notícias são meramente ilustrativas."

Rodrigo Paez
Rodrigo Paez

Formado pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) - Escola Paulista de Medicina e especialista em Cirurgia Cardíaca, Cardiovascular, Endovascular e Marcapassos. Adepto da cirurgia cardíaca minimamente invasiva é pesquisador do estudo multicêntrico Bypass, que reune os melhores centros de cirurgia cardíaca do Brasil.

  • Compartilhe este post