Cardiologia e Cirurgia Cardiovascular

Publicações

Notícias e artigos sobre saúde, bem-estar, tratamentos cardiovasculares e medicina preventiva
Complicações pós-cirúrgicas podem resultar em um Seroma. Você sabe o que é?

Complicações pós-cirúrgicas podem resultar em um Seroma. Você sabe o que é?

Pré-disposição genética e o não uso de uma cinta ou curativo compressivo são alguns fatores que ocasionam este problema.

O seroma pode acontecer em qualquer cirurgia. É a complicação pós-cirúrgica que consiste no acúmulo excessivo de líquido próximo à cicatriz cirúrgica, causando inflamação. Ocorre após alguns dias da cirurgia e pode demorar semanas para desaparecer totalmente. É o extravasamento de um líquido semelhante ao plasma, que se acumula abaixo da pele, na região da cicatriz cirúrgica.

 

Quais são as causas do seroma?

 

Em geral, o seroma é devido a uma pré-disposição genética e ao não uso de uma cinta ou curativo compressivo após a cirurgia. Ocorre principalmente nas cirurgias que envolvem grandes deslocamentos de tecidos, como as abdominoplastias.

 

Quais são os principais sinais e sintomas do seroma?

 

Os principais sinais e sintomas do seroma são:

    • Inchaço e flutuação locais;

    • Abaulamento da cicatriz;

    • Dor;

    • Pele avermelhada;

    • Aumento da temperatura local.

 

Ocorre principalmente em cirurgias cesáreas ou abdominoplastias. Pode drenar-se espontaneamente através da cicatriz cirúrgica, ocasionando um grande susto aos pacientes.

 

Como o médico trata o seroma?

 

O tratamento do seroma é feito através da punção do líquido por meio de agulhas e drenos, usando-se anestesia local para evitar a dor que o procedimento poderia causar. Além disso, o médico usa analgésicos e anti-inflamatórios, na medida da necessidade e poderá usar antibióticos preventivamente, uma vez que o seroma é um excelente meio de cultura para bactérias. Devem ser mantidos ou instituídos, se não existirem, curativos compressivos e o uso de uma cinta compressiva.

 

Como evolui o seroma?

 

Os líquidos acumulados são fluidos normais e não ocasionam nenhum mal, mas podem deformar as cicatrizes e torná-las pouco estéticas.

 

Se não for espontaneamente reabsorvido ou não for drenado, o seroma torna-se encapsulado e depois da formação de uma cápsula envolvendo-o, o tratamento adequado tem de ser cirúrgico.

 

 

Fonte: ABCMED, 2017. "Cicatriz cirúrgica vazando líquido? Pode ser um seroma. Você sabe o que é?". https://bit.ly/2KOMED1

"O conteúdo disponível neste website tem caráter estritamente educativo e informativo. Seus artigos, matérias e notícias visam fornecer informações que possam auxiliar no esclarecimento de dúvidas em relação às medidas preventivas para saúde, exames diagnósticos, tratamentos e a problemas diversos relacionados com a saúde. Não é finalidade deste website, representando o médico Dr. Rodrigo Pereira Paez, a análise, comentário ou emissão de qualquer tipo de diagnóstico. Os conteúdos aqui apresentados não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de médicos, psicólogos e nutricionistas ou outros especialistas. Consulte sempre o seu médico. As imagens fotográficas das publicações, artigos, matérias ou notícias são meramente ilustrativas."

Rodrigo Paez
Rodrigo Paez

Formado pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) - Escola Paulista de Medicina e especialista em Cirurgia Cardíaca, Cardiovascular, Endovascular e Marcapassos. Adepto da cirurgia cardíaca minimamente invasiva é pesquisador do estudo multicêntrico Bypass, que reune os melhores centros de cirurgia cardíaca do Brasil.

  • Compartilhe este post