Cardiologia e Cirurgia Cardiovascular

Publicações

Notícias e artigos sobre saúde, bem-estar, tratamentos cardiovasculares e medicina preventiva

Dr., sinto dor no peito ao respirar. É grave?

Dr., sinto dor no peito ao respirar. É grave?

É necessário investigar.

A dor no peito ao respirar é uma queixa frequentemente relatada por pacientes em ambientes hospitalares. Esse tipo de desconforto não é considerado como uma situação normal. Por isso, precisa passar por uma investigação médica para entender a fundo qual a causa e suas consequências.

 

Existem doenças que podem estar diretamente ligadas ao sintoma e devem ser investigadas pelos especialistas quando o paciente informa sobre o que está sentindo.

 

 

• A dor no peito ao respirar é grave?

 

Essa é a dúvida que muitos têm ao sentir dores no peito. Afinal, um problema grave como esse causa preocupação e requer cuidados imediatos em boa parte das situações. Por isso o indivíduo deve sempre procurar o seu médico ou o pronto atendimento quando surge uma dor no peito ao respirar.

 

Os sintomas podem estar associados à uma série de problemas, como crise de asma, embolia pulmonar ou tumores.

 

Dessa forma, o contato com um médico de confiança ou com o pronto atendimento torna-se essencial para dar início na investigação e detectar a causa das dores. A investigação inicial rápida agiliza o andamento de tratamentos caso sejam necessários e reduz significativamente as chances de complicações.

 

 

• Quais tipos de sintomas associados à dor no peito podem ser um fator de risco?

 

A presença de alguns sintomas específicos quando associados às dores no peito são considerados um fator de risco. Um dos sinais é o aumento da dor com a inspiração, pois isso pode denotar um problema da pleura, que é o tecido que recobre e protege o pulmão. Quando o paciente apresenta esse tipo de desconforto ao inspirar, os especialistas trabalham com hipóteses, como infecções (virais, bacterianas, como a tuberculose) ou tumores.

 

Para um diagnóstico preciso é fundamental ser avaliado por um médico. Assim, o profissional pode investigar com exames complementares as hipóteses diagnósticas de cada caso e propor o tratamento específico direcionado.

 

Além disso, existem aspectos que contribuem para o surgimento de dores no peito. Entre eles, podemos citar o tabagismo, sedentarismo e imobilidade por um longo período. Esses fatores, por fim, estão associados com o desenvolvimento de embolia pulmonar e, também, trombose.

 

 

• Quais doenças podem ter relação com a dor no peito ao respirar?

 

A dor no peito ao respirar pode estar associada a diversas doenças e, por isso, é tão importante buscar a orientação médica.

 

- Embolia Pulmonar: A Embolia Pulmonar consiste no bloqueio de uma ou mais artérias do pulmão, o que impede a passagem de sangue. Geralmente, esse impedimento tem origem em trombos. Eles podem ser provenientes de outras regiões do corpo, como pernas e quadris. Os trombos são formados na circulação sanguínea, em geral, quando sua velocidade está diminuída. Um bom exemplo são as longas viagens internacionais de avião, quando o indivíduo passa horas sentando em uma poltrona pouco confortável.

 

Dessa forma, o sistema circulatório fica comprometido e a pessoa afetada sente sintomas, como dor ao respirar, falta de ar, palidez e tosse repentina.

 

Grupos específicos têm maior probabilidade de desenvolverem a Embolia Pulmonar. Os fatores de risco incluem:

 

    a). Obesidade;

    b). Tabagismo;

    c). Hipertensão;

    d). Pílulas anticoncepcionais e reposição hormonal;

    e). Imobilismo;

    f). Fatores genéticos relacionados à coagulação.

 

Esses são alguns dos aspectos que aumentam as chances de desenvolvimento da Embolia Pulmonar. Caso não seja feito um acompanhamento adequado da situação, o problema pode ser fatal. Por isso, é importante ficar atento aos sintomas e procurar ajuda médica o quanto antes para iniciar o tratamento.

 

 

- Infecções no pulmão: outro problema que gera dores no peito ao respirar é a infecção no pulmão, seja ela viral, bacteriana ou por meio de fungos. Quando isso ocorre, há uma multiplicação do vírus ou bactéria no órgão, o que gera a infecção. O problema causa dor torácica, sendo apontada por pacientes como aguda e com uma piora ao tossir ou respirar.

 

O diagnóstico acontece com um exame clínico, em que o médico leva em conta as condições do paciente, como secreção, temperatura e a sua ausculta pulmonar (realizada com estetoscópio).

 

 

- Tumores: o tumor (pulmonar ou metástase de outros tumores) também é uma doença com possibilidade de estar relacionada com a dor no peito ao respirar. Quando se encontra no pulmão, por exemplo, o indivíduo apresenta sintomas, como dor torácica, tosse, falta de ar e perda de peso. Logo, o diagnóstico é feito com base em histórico clínico e exames complementares, como tomografia computadorizada ou ressonância magnética.

 

Nesse sentido, o tabagismo é apontado como um dos principais vilões para o desenvolvimento de lesões pulmonares bem como em outros órgãos, como a bexiga. A relação causa e efeito do tabagismo com os tumores de pulmão é conhecida há muito tempo e é o principal fator de risco para a doença.

 

Portanto, contar com a ajuda médica e fazer todos os exames necessários colaboram para um diagnóstico preciso, o que é essencial para iniciar o tratamento ainda na fase inicial da doença e, com isso, ter melhores resultados.

 

 

• O que fazer quando sentir esse sintoma?

 

Ao sentir o sintoma, é preciso procurar por atendimento logo nos primeiros momentos. O desconforto ao respirar não é uma situação benigna até que se prove o contrário. A dor no peito ao respirar não pode ser negligenciada e que o seu surgimento deve suscitar a busca por auxílio médico rapidamente.

 

 

Fonte: Hospital Israelita Albert Einstein. Vida Saudável. "Dor no peito ao respirar é grave? Entenda o que pode ser". Autorizado e publicado sob licença CC BY-ND 3.0 BR.

"O conteúdo disponível neste website tem caráter estritamente educativo e informativo. Seus artigos, matérias e notícias visam fornecer informações que possam auxiliar no esclarecimento de dúvidas em relação às medidas preventivas para saúde, exames diagnósticos, tratamentos e a problemas diversos relacionados com a saúde. Não é finalidade deste website, representando o médico Dr. Rodrigo Pereira Paez, a análise, comentário ou emissão de qualquer tipo de diagnóstico. Os conteúdos aqui apresentados não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de médicos, psicólogos e nutricionistas ou outros especialistas. Consulte sempre o seu médico. As imagens fotográficas das publicações, artigos, matérias ou notícias são meramente ilustrativas."

Rodrigo Paez

Rodrigo Paez

Formado pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) - Escola Paulista de Medicina e especialista em Cirurgia Cardíaca, Cardiovascular, Endovascular e Marcapassos. Adepto da cirurgia cardíaca minimamente invasiva é pesquisador do estudo multicêntrico Bypass, que reune os melhores centros de cirurgia cardíaca do Brasil.

  • Compartilhe este post