Cardiologia e Cirurgia Cardiovascular

Publicações

Notícias e artigos sobre saúde, bem-estar, tratamentos cardiovasculares e medicina preventiva
Como identificar, entender os riscos e tratar a Arritmia Cardíaca?

Como identificar, entender os riscos e tratar a Arritmia Cardíaca?

Conhecida também como disritmia ou "palpitação", a Arritmia Cardíaca pode desencadear AVC e infartos.

Os sintomas da arritmia cardíaca geralmente só surgem quando se trata de uma doença maligna, que faz com que surjam cansaço e sensação de fraqueza, tontura, mal estar, desmaios, batimentos cardíacos acelerados ou lentos, sensação de nó na garganta, falta de ar, dor no peito, palidez e suor frio.

 

Esses sintomas podem afetar pessoas com o coração saudável ou aquelas com doença cardíaca já instalada instalada, como pressão alta ou insuficiência cardíaca, quando os sintomas podem ser mais acentuados.

 

Por isso, ao sentir esses sinais ou quando se tem problemas no coração, é importante fazer consulta com o cardiologista pelo menos 1 vez por ano, para fazer o tratamento adequado e prevenir complicações.

 

Causas da arritmia cardíaca

 

As causas da arritmia cardíaca são diversas. Dentre elas, pode-se destacar:

 

    • Pressão alta;

    • Doença coronariana;

    • Problemas na tireóide como o hipertireoidismo;

    • Desequilíbrios químicos no sangue como concentração de sódio, potássio ou cálcio alterados;

    • Alguns medicamentos como os betabloqueadores, psicotrópicos e as anfetaminas;

    • Doenças de nascença do coração;

    • Exercício físico vigoroso;

    • Complicação após cirurgia cardíaca;

    • Insuficiência cardíaca ou história de ataque cardíaco;

    • Doença de chagas;

    • Anemia;

    • Envelhecimento.

 

Outros fatores como consumo excessivo de cafeína, álcool, drogas, cigarro, ansiedade e estresse também podem precipitar uma arritmia cardíaca.

 

Tratamento para arritmia cardíaca

 

O tratamento para arritmia cardíaca vai depender da arritmia em questão, dos sintomas apresentados pelo paciente e pela presença ou não de outras doenças cardíacas.

 

Tratamento para arritmia benigna

 

Em caso de arritmia cardíaca benigna, não é necessário nenhum tratamento, mas o cardiologista poderá indicar a tomada de medicamentos na intenção de diminuir os sintomas de taquicardia e a realização de exames periódicos.

 

Tratamento para arritmia maligna

 

Em caso de arritmia cardíaca maligna o tratamento deve ser baseado no tipo da arritmia podendo ser através de:

 

    • Medicamentos;

    • Cirurgia para colocação de marcapasso: o aparelho assumirá o comando dos batimentos cardíacos conforme o médico programar;

    • Cardioversão elétrica: é utilizada para reorganização do ritmo do coração, geralmente após tentativas com medicamentos injetáveis;

    • Cirurgia de ablação: um tipo de cauterização, produzindo uma queimadura extremamente localizada e precisa, que irá impedir ou dificultar novas crises de arritmia;

    • Mudança nos hábitos de vida: parar de consumir álcool, drogas, café, coca-cola, alguns tipos de chá, cigarro e drogas.

 

É importante destacar que as arritmias malignas podem piorar com esforço físico, trazendo complicações como falência do coração e morte, portanto, logo que os sintomas sejam percebidos, deve-se procurar um cardiologista para que as condutas sejam instituídas o mais breve possível.

 

 

Fonte: Tua Saúde. "Sintomas da arritmia cardíaca". Por Ana Luiza Lima. Conteúdo Editado. Autorizado sob licença CC BY-ND 3.0 BR.

"O conteúdo disponível neste website tem caráter estritamente educativo e informativo. Seus artigos, matérias e notícias visam fornecer informações que possam auxiliar no esclarecimento de dúvidas em relação às medidas preventivas para saúde, exames diagnósticos, tratamentos e a problemas diversos relacionados com a saúde. Não é finalidade deste website, representando o médico Dr. Rodrigo Pereira Paez, a análise, comentário ou emissão de qualquer tipo de diagnóstico. Os conteúdos aqui apresentados não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de médicos, psicólogos e nutricionistas ou outros especialistas. Consulte sempre o seu médico. As imagens fotográficas das publicações, artigos, matérias ou notícias são meramente ilustrativas."

Rodrigo Paez
Rodrigo Paez

Formado pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) - Escola Paulista de Medicina e especialista em Cirurgia Cardíaca, Cardiovascular, Endovascular e Marcapassos. Adepto da cirurgia cardíaca minimamente invasiva é pesquisador do estudo multicêntrico Bypass, que reune os melhores centros de cirurgia cardíaca do Brasil.

  • Compartilhe este post