Cardiologia e Cirurgia Cardiovascular

Publicações

Notícias e artigos sobre saúde, bem-estar, tratamentos cardiovasculares e medicina preventiva
Você sabe o que é a Venografia?
Você sabe o que é a Venografia?

Uma radiografia dos vasos com o uso de contraste.

A venografia, também chamada flebografia, é um procedimento no qual uma radiografia das veias (um venograma) é feita após a injeção de um corante especial no interior delas, para mostrar como o sangue flui por esses vasos.

 

Por que fazer venografia?

 

A venografia por contraste é o exame padrão ouro para o diagnóstico por imagem de trombose venosa profunda, embora raramente seja realizado, em virtude da sua complexidade.

 

A venografia também pode ser usada com outras finalidades: avaliar o estado de uma veia ou sistema de veias; distinguir coágulos sanguíneos de obstruções nas veias; avaliar problemas congênitos das veias; verificar o funcionamento das válvulas das veias profundas da perna; escolher uma veia para acesso à diálise ou identificar uma veia com boa qualidade para a cirurgia de revascularização do miocárdio.

 

Como se realiza a venografia?

 

Os raios X atravessam a maioria dos objetos, incluindo os tecidos moles do corpo. Diferentes partes do corpo absorvem os raios X em vários graus. O osso denso em grande parte das vezes não é atravessado pela radiação e registra uma imagem em branco. Tecidos moles, como músculo, gordura e órgãos, permitem que mais raios-x passem por eles e gerem imagens em cinza. Veias não podem ser vistas em um raio-x; portanto, um material de contraste à base de iodo, impermeável aos raios X, é injetado no interior dos vasos para torná-los visíveis.

 

Deve ser observado um jejum de várias horas antes do procedimento. Antes do exame, quando trata-se de uma paciente mulher, ela deve informar ao médico se existe a possibilidade de estar grávida e comunicar a ele quaisquer doenças recentes, condições médicas, medicamentos que esteja tomando e eventuais alergias, especialmente para materiais de contraste iodados.

 

Este exame costuma ser feito em ambulatório, mas se o paciente estiver internado ele será feito em um departamento de radiografia hospitalar. Normalmente, um cateter é inserido numa veia para injetar o contraste. Onde essa agulha é colocada, depende da área do corpo em que as veias estejam sendo avaliadas. O mais comum é que o cateter seja inserido pela virilha e movido para o local apropriado, navegando através do sistema vascular.

 

As extremidades inferiores, a veia cava inferior e as extremidades superiores são as áreas do sistema venoso que são investigadas com maior frequência. À medida que o material de contraste flui através das veias que estão sendo examinadas, várias radiografias são tomadas. A mesa em que o paciente está deitado pode ser movida para diferentes posições para que se possa obter radiografias em diferentes ângulos.

 

De modo geral, o exame apenas impõe alguns incômodos facilmente toleráveis. O paciente sentirá uma pequena picada quando a agulha for inserida em sua veia. Em caso da colocação de um cateter, a maior parte da sensação é no local da incisão da pele, que é anestesiada com anestesia local. À medida que o material de contraste passa pelo corpo, o paciente pode sentir uma sensação de calor que desaparece rapidamente e pode experimentar um gosto metálico em sua boca. Pode também sentir que seu braço ou perna estão ficando dormentes, sensação que desaparecerá quando o teste for concluído. No momento de serem disparadas as cargas de radiação para produção das imagens, o paciente será solicitado a não respirar por alguns segundos, para melhorar a qualidade das imagens.

 

Um venograma leva de 30 a 90 minutos para ser realizado. O paciente será instruído a beber muito líquido e mesmo fluidos intravenosos podem ser dados para remover mais rapidamente o material de contraste.

 

Quais são as complicações possíveis da venografia?

 

Executada com a técnica correta, os riscos da venografia são mínimos. Existe um pequeno risco de reação alérgica ao contraste. Em casos raros, um venograma pode causar uma trombose venosa profunda.

 

Existe um risco de lesão nos rins devido à injeção do contraste. Pacientes com insuficiência renal devem receber uma atenção especial.

 

A colocação de um cateter num vaso sanguíneo acarreta os riscos de danos ao vaso, hematomas ou sangramento no local da punção e infecção. No entanto, a precaução é tomada para mitigar esses riscos.

 

A excessiva exposição à radiação implica num pequeno (quase desprezível) risco de câncer. O benefício de um diagnóstico preciso supera em muito este risco.

 

 

Fonte: AbcMed. "Venografia - uma radiografia dos vasos com o uso de contraste"

"O conteúdo disponível neste website tem caráter estritamente educativo e informativo. Seus artigos, matérias e notícias visam fornecer informações que possam auxiliar no esclarecimento de dúvidas em relação às medidas preventivas para saúde, exames diagnósticos, tratamentos e a problemas diversos relacionados com a saúde. Não é finalidade deste website, representando o médico Dr. Rodrigo Pereira Paez, a análise, comentário ou emissão de qualquer tipo de diagnóstico. Os conteúdos aqui apresentados não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de médicos, psicólogos e nutricionistas ou outros especialistas. Consulte sempre o seu médico. As imagens fotográficas das publicações, artigos, matérias ou notícias são meramente ilustrativas."

Rodrigo Paez
Rodrigo Paez

Formado pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) - Escola Paulista de Medicina e especialista em Cirurgia Cardíaca, Cardiovascular, Endovascular e Marcapassos. Adepto da cirurgia cardíaca minimamente invasiva é pesquisador do estudo multicêntrico Bypass, que reune os melhores centros de cirurgia cardíaca do Brasil.

  • Compartilhe este post