Cardiologia e Cirurgia Cardiovascular

Publicações

Notícias e artigos sobre saúde, bem-estar, tratamentos cardiovasculares e medicina preventiva

Preciso fazer o Teste do Coraçãozinho no meu bebê?

Preciso fazer o Teste do Coraçãozinho no meu bebê?

O teste do coraçãozinho é realizado em bebês saudáveis com mais de 34 semanas.

O teste do coraçãozinho é um dos exames feitos nos bebês nascidos com idade gestacional superior a 34 semanas e é feito ainda na maternidade, entre as primeiras 24 a 48 horas após o nascimento.

 

Este exame é realizado pela equipe que acompanhou o parto e é utilizado para verificar se o coração do bebê está funcionando corretamente, pois pode ser que, durante a gestação, alguma doença cardíaca não tenha sido detectada.

 

Para que serve

 

O teste do coraçãozinho serve para avaliar como está a adaptação do bebê à vida fora do útero. Este exame pode detectar irregularidades nos músculos e nos vasos sanguíneos do coração, além de verificar se o coração bate a quantidade esperada de vezes por minuto, e até mesmo, se o sangue bombeado pelo coração contém a quantidade necessária de oxigênio que o bebê precisa.

 

Algumas alterações que podem ser detectadas pelo teste do coraçãozinho são:

 

1. Defeito do septo ventricular

 

Este defeito consiste numa abertura entre os ventrículos direito e esquerdo, que são as partes inferiores do coração e que não deveriam estar em contato direto uma com a outra. É comum que esta abertura feche naturalmente, mas de toda forma o pediatra irá acompanhar o caso para verificar se o fechamento ocorre espontaneamente ou se é necessário fazer uma cirurgia.

 

Crianças com esta alteração leve não apresentam sintomas, no entanto se o grau for moderado pode gerar desconforto respiratório e dificuldade para ganhar peso.

 

2. Defeito do septo atrial

 

O átrio é a parte superior do coração, que é dividido em esquerdo e direito por é uma estrutura cardíaca chamada septo. O defeito que gera a doença do septo atrial é uma pequena abertura no septo, que passa a conectar os dois lados. Esta abertura pode se fechar espontaneamente, mas existem casos em que é necessária a cirurgia.

 

Os bebês com essa alteração não costumam apresentar sintomas.

 

3. Tetralogia de Fallot

 

A Tetralogia de Fallot é um conjunto de quatro defeitos que podem acometer o coração do recém nascido. Como por exemplo, quando o vaso sanguíneo inferior esquerdo do coração é menor do que deveria, e isso causa o aumento do músculo nesta região, deixando o coração do bebê inchado.

 

Estas falhas reduzem o oxigênio no corpo, e um dos sinais da doença é a alteração de cor para tons de roxo e azul nas regiões dos lábios e dedos do bebê.

 

4. Transposição de grandes artérias

 

Neste caso as grandes artérias responsáveis pela circulação do sangue oxigenado e não oxigenado, funcionam na forma inversa, onde o lado com oxigênio não faz troca com o lado sem oxigênio. Os sinais da transposição de grandes artérias acontecem horas após o nascimento pela falta de oxigênio e o bebê também pode apresentar aumento dos batimentos cardíacos.

 

Nesta doença frequentemente é indicada a cirurgia reparadora para reconectar os vasos sanguíneos nos lugares em que eles deveriam ter se formado durante a gestação.

 

Como é feito o exame

 

O exame é realizado com a criança deitada confortavelmente com as mãos e pés bem aquecidos. No braço direito do bebê é colocado um acessório especial para recém nascidos em formato de pulseira que mede a quantidade de oxigênio no sangue.

 

Não existe cortes ou furos neste exame e, por isto, o bebê não sente nenhuma dor ou desconforto. Além disto, os pais podem permanecer com o bebê durante todo processo, deixando-o mais confortável.

 

Em alguns casos este teste pode ser realizado no pézinho do bebê, sendo utilizada a mesma pulseira para medir a quantidade de oxigênio no sangue.

 

O que significa o resultado

 

O resultado do exame é considerado normal e negativo quando a quantidade oxigênio no sangue do bebê é maior que 96%, desta forma a criança segue a rotina de cuidados neonatais, sendo dada a alta da maternidade quando todos os exames do recém nascido forem feitos.

 

Já se o resultado do teste for positivo, quer dizer que a quantidade de oxigênio no sangue é menor que 95% e, caso isso ocorra, o teste deve ser repetido após 1 hora. Nesse segundo teste, se o resultado se mantiver, ou seja, se continuar menor que 95%, o bebê precisa ficar internado para fazer um ecocardiograma.

 

 

Fonte: Tua Saúde. "Teste do coraçãozinho: o que é, para que serve e quando fazer". Por Sani Santos Ribeiro Autorizado sob licença CC BY-ND 3.0 BR.

"O conteúdo disponível neste website tem caráter estritamente educativo e informativo. Seus artigos, matérias e notícias visam fornecer informações que possam auxiliar no esclarecimento de dúvidas em relação às medidas preventivas para saúde, exames diagnósticos, tratamentos e a problemas diversos relacionados com a saúde. Não é finalidade deste website, representando o médico Dr. Rodrigo Pereira Paez, a análise, comentário ou emissão de qualquer tipo de diagnóstico. Os conteúdos aqui apresentados não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de médicos, psicólogos e nutricionistas ou outros especialistas. Consulte sempre o seu médico. As imagens fotográficas das publicações, artigos, matérias ou notícias são meramente ilustrativas."

Rodrigo Paez

Rodrigo Paez

Formado pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) - Escola Paulista de Medicina e especialista em Cirurgia Cardíaca, Cardiovascular, Endovascular e Marcapassos. Adepto da cirurgia cardíaca minimamente invasiva é pesquisador do estudo multicêntrico Bypass, que reune os melhores centros de cirurgia cardíaca do Brasil.

  • Compartilhe este post