Cardiologia e Cirurgia Cardiovascular

Publicações

Notícias e artigos sobre saúde, bem-estar, tratamentos cardiovasculares e medicina preventiva
Você sabe quais são as principais doenças arteriais?
Você sabe quais são as principais doenças arteriais?

As doenças das artérias, ou doenças arteriais, são doenças vasculares que atingem as artérias do corpo.

As doenças das artérias, ou doenças arteriais, são doenças vasculares que afetam as artérias do corpo, que são os vasos que transportam sangue rico em oxigênio do coração para os tecidos do organismo. As artérias são vasos vitais para a circulação do sangue, daí a importância que assumem as doenças arteriais, que geralmente bloqueiam a condução do sangue do coração para o resto do corpo. A maior artéria do corpo humano, a aorta, se origina do ventrículo esquerdo do coração e se ramifica em artérias menores por todo o corpo.

 

As principais doenças arteriais incluem:

 

    • Aneurisma aórtico torácico ou abdominal;

    • Doença arterial coronariana;

    • Doença da artéria carótida;

    • Doença arterial periférica;

    • Doença vertebrobasilar;

    • Doença vascular renal;

    • Síndrome de compressão torácica;

    • Síndrome do sequestro subclávio.

 

Muitas doenças das artérias não causam sintomas até que um problema potencialmente mortal, como um ataque cardíaco ou um acidente vascular cerebral, se desenvolva. Também é importante observar que a aterosclerose se encontra frequentemente associada a várias das condições descritas a seguir.

 

1 - Aneurisma aórtico torácico ou abdominal

 

Um aneurisma é uma protuberância na parede de qualquer vaso sanguíneo. É mais frequentemente visto na aorta, o principal vaso sanguíneo que sai do coração. O aneurisma aórtico é dito torácico quando se localiza acima do diafragma, ou abdominal quando se localiza na barriga, abaixo do diafragma.

 

Os aneurismas pequenos não representam ameaça na maioria dos casos, mas colocam a pessoa em risco por outros problemas: depósitos de placa aterosclerótica podem se acumular onde o aneurisma está; um coágulo pode se formar lá e então se soltar e ficar preso em algum outro lugar, o que pode ser muito perigoso; o aneurisma pode ficar maior e pressionar outros órgãos, o que causa dor e como a parede da artéria é esticada e mais fina, ela pode se romper subitamente, o que pode ser fatal.

 

2 - Doença arterial coronariana

 

A doença arterial coronariana, também conhecida simplesmente como doença coronariana, é o tipo mais comum das doenças cardíacas. Ela acontece quando a aterosclerose faz com que a placa se acumule nas artérias que fornecem sangue rico em oxigênio para o coração. Quando o fluxo sanguíneo para o coração é reduzido ou bloqueado pela doença arterial coronariana, uma pessoa pode sentir dor no peito (angina), ataque cardíaco, insuficiência cardíaca ou arritmia (um batimento cardíaco irregular).

 

O risco de doença arterial coronariana é maior se a pessoa tiver pressão alta, colesterol LDL elevado, colesterol HDL baixo ou diabetes. Esse risco pode ser reduzido fazendo exercício físico regularmente, escolhendo uma dieta com pouca gordura e sódio (sal), além de acompanhar adequadamente a medicação que o médico tenha prescrito.

 

3 - Doença da artéria carótida

 

A doença da artéria carótida afeta as duas grandes artérias do pescoço que fornecem sangue ao cérebro, chamadas artérias carotídeas direita e esquerda. A doença da artéria carótida, que muitas vezes está ligada à aterosclerose, surge quando as artérias se tornam estreitadas pelo acúmulo de placa aterosclerótica, geralmente na junção com as artérias subclávias.

 

Um risco aumentado de desenvolver doença nas artérias carótidas ocorre se a pessoa tiver diabetes mellitus, pressão alta, níveis sanguíneos altos de colesterol ou história familiar de aterosclerose. As pessoas com doença identificada se tratam com medicamentos prescritos por um especialista e procuram seguir um estilo de vida saudável para prevenir coágulos sanguíneos e reduzir o risco de acidente vascular cerebral (AVC).

 

4 - Doença arterial periférica

 

A doença arterial periférica também é frequentemente associada à aterosclerose e se torna muito mais provável à medida que a pessoa envelhece. Nela as artérias mais distantes do coração, tais como as da pelve e pernas, tornam-se estreitas devido ao acúmulo de placa aterosclerótica. A diminuição do fluxo sanguíneo para os músculos pode causar dor e fadiga nas pernas, muitas vezes durante exercícios ou ao subir escadas.

 

O médico pode detectar a doença arterial periférica usando exames de imagem e comparando os níveis de pressão arterial em cada um dos seus braços e pernas. A pressão alta, o colesterol elevado, a aterosclerose, o diabetes, o sedentarismo e o hábito de fumar representam maiores riscos de ter doença arterial periférica.

 

5 - Doença vertebrobasilar

 

A doença arterial vertebrobasilar afeta o fluxo sanguíneo para a parte posterior do cérebro através das artérias vertebrais e/ou basilares. O sangue conduzido por elas, vindos das artérias carótidas e vertebrais, supre várias estruturas no cérebro, particularmente as responsáveis pelos movimentos e pelo equilíbrio. A principal causa da doença arterial vertebrobasilar é a aterosclerose ou "endurecimento das artérias".

 

O estreitamento das artérias vertebrais ou basilares causadas por aterosclerose cria insuficiência vertebrobasilar ou uma entrega insuficiente de fluxo sanguíneo para as estruturas posteriores do cérebro. Os pacientes com doença vertebrobasilar têm risco aumentado de ataque isquêmico transitório e acidente vascular cerebral. A doença vertebrobasilar é duas vezes mais comum em homens do que em mulheres e ocorre tipicamente em idosos. São fatores de risco aumentado: diabetes, hipertensão, obesidade, colesterol alto, fumo, idade avançada e sedentarismo.

 

6 - Doença vascular renal

 

A doença vascular renal corresponde a uma estenose (estreitamento) das artérias renais que transportam sangue para um ou ambos os rins. Essa condição muitas vezes é observada em pessoas idosas com aterosclerose. A estenose da artéria renal pode piorar com o tempo e, muitas vezes, levar à pressão arterial alta e danos renais. Os rins detectam que menos sangue os atinge e interpreta erroneamente que o corpo está com pressão arterial baixa, sinalizando a liberação de hormônios que elevam a pressão arterial. Com o tempo, a estenose da artéria renal pode levar à insuficiência renal.

 

Cerca de 90% dos casos de estenose da artéria renal são causados pela aterosclerose, porém, mais raramente, ela pode ser causada por uma condição chamada displasia fibromuscular. Essa condição é mais comumente vista em mulheres e pessoas mais jovens e é potencialmente curável. A estenose da artéria renal geralmente não causa sintomas específicos e o primeiro sinal dela pode ser uma hipertensão extremamente difícil de controlar.

 

7 - Síndrome de compressão torácica

 

A síndrome de compressão torácica, ou síndrome do desfiladeiro torácico, é uma condição na qual há compressão dos nervos, veias e artérias na passagem da parte inferior do pescoço até a axila. Existem, pois, três tipos principais de sintomas da síndrome de compressão torácica: neurogênico, venoso e arterial.

 

O tipo arterial, além de raro, apresenta sintomatologia intermitente e se manifesta apenas se existir uma compressão significativa. Esse tipo é devido à compressão da artéria subclávia e resulta em dor, frio e palidez do braço. A síndrome de compressão torácica pode resultar de trauma, movimentos repetitivos do braço, tumores, gravidez ou variações anatômicas, como uma costela cervical. No que diz respeito ao tratamento, a cirurgia é tipicamente feita para os tipos arterial e venoso e para o tipo neurogênico, se não melhorar com outros tratamentos.

 

8 - Síndrome do sequestro subclávio

 

A síndrome do sequestro subclávio, ou síndrome do roubo subclávio, é constituída por uma constelação de sinais e sintomas que surgem do fluxo sanguíneo retrógrado (reverso) da artéria vertebral ou da artéria torácica interna, devido a uma estenose (estreitamento) e/ou oclusão proximal da artéria subclávia. O braço pode ser suprido pelo fluxo de sangue em uma direção retrógrada pela artéria vertebral à custa da circulação vertebrobasilar. Isso é mais grave que a insuficiência vertebrobasilar típica.

 

 

Fonte: AbcMed, 2019. "Doenças das artérias". Autorizado sob licença CC BY-ND 3.0 BR.

"O conteúdo disponível neste website tem caráter estritamente educativo e informativo. Seus artigos, matérias e notícias visam fornecer informações que possam auxiliar no esclarecimento de dúvidas em relação às medidas preventivas para saúde, exames diagnósticos, tratamentos e a problemas diversos relacionados com a saúde. Não é finalidade deste website, representando o médico Dr. Rodrigo Pereira Paez, a análise, comentário ou emissão de qualquer tipo de diagnóstico. Os conteúdos aqui apresentados não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de médicos, psicólogos e nutricionistas ou outros especialistas. Consulte sempre o seu médico. As imagens fotográficas das publicações, artigos, matérias ou notícias são meramente ilustrativas."

Rodrigo Paez
Rodrigo Paez

Formado pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) - Escola Paulista de Medicina e especialista em Cirurgia Cardíaca, Cardiovascular, Endovascular e Marcapassos. Adepto da cirurgia cardíaca minimamente invasiva é pesquisador do estudo multicêntrico Bypass, que reune os melhores centros de cirurgia cardíaca do Brasil.

  • Compartilhe este post