Cardiologia e Cirurgia Cardiovascular

Publicações

Notícias e artigos sobre saúde, bem-estar, tratamentos cardiovasculares e medicina preventiva
Você sabe o que é Endocardite?
Você sabe o que é Endocardite?

Infecção do revestimento interno do coração (endocárdio), frequentemente envolve as válvulas cardíacas.

O que é Endocardite Infecciosa? Quais são as suas Características?

 

A Endocardite Infecciosa (EI) é a infecção da superfície endocárdica do coração, incluindo infecções dos grandes vasos torácicos e corpos estranhos intracardíacos.

 

O endocárdio é a membrana que reveste as superfícies internas do coração. A endocardite pode ocorrer em pessoas que têm certas doenças cardíacas pré-existentes. Sem tratamento médico, a infecção pode prejudicar gravemente ou até mesmo destruir as válvulas cardíacas. Alguns procedimentos odontológicos e cirúrgicos aumentam o risco de endocardite porque as bactérias podem ser introduzidas na corrente sanguínea. A endocardite também é conhecida como endocardite infecciosa ou endocardite bacteriana.

 

Endocardite Infecciosa muitas vezes apresenta-se de forma oculta e diagnóstico precoce depende de um alto índice de suspeita clínica em pacientes com doença cardíaca congênita, válvulas protéticas ou endocardite infecciosa anterior.

 

O diagnóstico da Endocardite Infecciosa é demonstrado por uma hemocultura positiva e envolvimento do endocárdio detectado durante a sepse ou infecção sistêmica.

 

Endocardite Infecciosa também pode ser estabelecida se houver envolvimento do endocárdio detectado durante a sepse ou infecção sistêmica, mas a hemocultura (BC) é negativa.

 

As pessoas que têm certas doenças cardíacas preexistentes correm maior risco de desenvolver endocardite.

 

Alguns procedimentos odontológicos e cirúrgicos aumentam o risco de endocardite porque as bactérias podem ser introduzidas na corrente sanguínea.

 

Quais são os Sinais e Sintomas da Endocardite Infecciosa?

 

Os sintomas de endocardite bacteriana aguda (ABE) ocorrem dentro de algumas semanas após a infecção. Os sintomas da endocardite bacteriana subaguda (SBE) podem levar semanas ou meses para se desenvolver. Alguns dos sintomas gerais da endocardite podem incluir:

 

    • Febre e calafrios;

    • Letargia;

    • Perda de apetite;

    • Dor generalizada em todo o corpo;

    • Ritmos cardíacos anormais, como ritmo cardíaco lento ou taquicardia (ritmo cardíaco acelerado);

    • Sopro cardíaco;

    • Respiração aumentada;

    • Tosse persistente.

 

Normalmente, uma infecção em algum outro lugar do corpo faz com que bactérias circulem no sangue (bacteremia). As bactérias que causam a maioria dos casos de endocardite pertencem à família dos Staphylococcus, como Staphylococcus aureus e ‘golden staph’, uma forma resistente a Staphylococcus aureus.

 

As bactérias infectam as áreas já danificadas ou doentes do coração. Dispositivos protéticos (como válvulas cardíacas artificiais) podem ser suscetíveis à infecção porque o sistema imunológico não reconhece esses dispositivos como parte do corpo e pode não protegê-los de forma agressiva. A infecção causa inflamação e coágulos sanguíneos, enquanto o processo de cura natural do corpo causa cicatrizes. Um endocárdio cicatrizado ou uma válvula cardíaca é suscetível a futuras infecções.

 

Quais são as Possíveis Complicações da Endocardite Infecciosa?

 

A endocardite pode causar complicações, incluindo:

 

    • Função reduzida de uma válvula cardíaca;

    • Propagação de infecção para outras áreas do coração;

    • Propagação de infecção para outras áreas do corpo, como o cérebro;

    • Vasos sanguíneos bloqueados – um coágulo sanguíneo pode libertar-se do endocárdio, alojar-se no interior de um vaso sanguíneo, reduzir o fluxo sanguíneo para tecidos ou órgãos associados e levar a complicações adicionais.

 

Quais são os Fatores de Risco Para Endocardite Infecciosa?

 

Endocardite raramente ocorre em pessoas com um coração saudável, mas algumas pessoas têm um risco aumentado da doença. Fatores de risco que estão ligados à endocardite incluem:

 

    • Defeitos cardíacos congênitos;

    • Cirurgia prévia para correção de defeitos cardíacos;

    • Dispositivos cirúrgicos, como marca-passo, válvula cardíaca artificial ou derivação;

    • Doença cardíaca reumática;

    • Endocardite prévia;

    • Uso de drogas por via intravenosa sem histórico médico de doença cardíaca.

 

Alguns defeitos cardíacos congênitos, como defeitos do septo ventricular, podem ser reparados com sucesso com cirurgia, de modo que não haja mais risco aumentado de endocardite. Se tiver um problema cardíaco, é importante que pergunte ao seu médico se está ou não em risco de endocardite.

 

Quais Procedimentos Podem Causar Endocardite Infecciosa?

 

A bacteremia de curto prazo pode ser causada por certos procedimentos odontológicos e cirúrgicos, incluindo:

 

    • Limpeza profissional dos dentes;

    • Qualquer procedimento odontológico que possa causar sangramento (como extração dentária);

    • Linhas intravenosas usadas durante ou após a cirurgia;

    • Investigação dos pulmões com um dispositivo telescópico chamado “broncoscópio rígido”;

    • Cirurgia para remover as amígdalas (amigdalectomia);

    • Cirurgia para remover as adenoides (adenoidectomia);

    • Cirurgia do trato urinário;

    • Cirurgia gastrointestinal;

    • Cirurgia da vesícula biliar;

    • Cirurgia de próstata;

    • Cirurgia cardíaca.

 

É importante informar o seu dentista ou cirurgião se estiver em risco de endocardite. Você pode ser prescrito antibióticos para tomar antes do procedimento ser realizado. Isso reduzirá o risco de bacteremia.

 

Em caso de emergência médica, você pode querer levar um cartão médico revelando seu risco aumentado de endocardite.

 

Como é Feito o Diagnóstico da Endocardite Infecciosa?

 

Testes utilizados para diagnosticar endocardite incluem:

 

    • Exame físico;

    • Histórico médico;

    • Testes de urina;

    • Exames de sangue;

    • Diagnóstico por imagem, como ultra-som.

 

Como é Feito o Tratamento da Endocardite Infecciosa?

 

Opções de tratamento incluem:

 

Um curso de antibióticos de quatro a oito semanas;

Cirurgia para reparar danos graves no tecido cardíaco;

Cirurgia para reparar ou substituir válvulas cardíacas severamente danificadas ou dispositivos cardíacos destruídos, como válvulas cardíacas protéticas;

Medicação para diluir o sangue – medicamentos como aspirina ou varfarina podem ser administrados para tratar coágulos sanguíneos.

 

 

Fonte: OPAS. "O que é Endocardite (Endocardite Infecciosa), Sintomas e Tratamento". Autorizado sob licença CC BY-ND 3.0 BR.

"O conteúdo disponível neste website tem caráter estritamente educativo e informativo. Seus artigos, matérias e notícias visam fornecer informações que possam auxiliar no esclarecimento de dúvidas em relação às medidas preventivas para saúde, exames diagnósticos, tratamentos e a problemas diversos relacionados com a saúde. Não é finalidade deste website, representando o médico Dr. Rodrigo Pereira Paez, a análise, comentário ou emissão de qualquer tipo de diagnóstico. Os conteúdos aqui apresentados não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de médicos, psicólogos e nutricionistas ou outros especialistas. Consulte sempre o seu médico. As imagens fotográficas das publicações, artigos, matérias ou notícias são meramente ilustrativas."

Rodrigo Paez
Rodrigo Paez

Formado pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) - Escola Paulista de Medicina e especialista em Cirurgia Cardíaca, Cardiovascular, Endovascular e Marcapassos. Adepto da cirurgia cardíaca minimamente invasiva é pesquisador do estudo multicêntrico Bypass, que reune os melhores centros de cirurgia cardíaca do Brasil.

  • Compartilhe este post