Cardiologia e Cirurgia Cardiovascular

Publicações

Notícias e artigos sobre saúde, bem-estar, tratamentos cardiovasculares e medicina preventiva
O que é a Síndrome Metabólica?
O que é a Síndrome Metabólica?

A Síndrome Metabólica caracteriza-se pela tendência de várias doenças ocorrerem ao mesmo tempo, levando ao aumento do risco de p

A expressão Síndrome Metabólica refere-se a um conjunto de fatores metabólicos que se manifestam num indivíduo e aumentam os riscos de desenvolver doenças cardíacas, acidentes vasculares cerebrais e diabetes mellitus. A Síndrome Metabólica tem como base a resistência à ação da insulina, obrigando o pâncreas a produzir mais insulina e elevando o nível dela no sangue.


Quais são as causas da Síndrome Metabólica?
Fatores genéticos, excesso de peso (principalmente na região abdominal) e ausência de atividade física contribuem para o aparecimento da Síndrome Metabólica e indicam a maneira de preveni-la ou combatê-la.


Qual é o mecanismo fisiológico da Síndrome Metabólica?
A resistência insulínica, ocorrência central da Síndrome Metabólica, corresponde a uma dificuldade desse hormônio em exercer suas ações, responsáveis por retirar a glicose do sangue e levá-la para o interior das células do organismo. A insulina também é responsável por inúmeras outras funções no organismo, participando, por exemplo, do metabolismo das gorduras, sendo sua ação fundamental para a vida. Geralmente ela está associada à obesidade, sendo esta a forma mais aparente da resistência.


Quais são as principais características da Síndrome Metabólica?
Nos Estados Unidos, um em cada cinco adultos tem a Síndrome Metabólica. Para a maioria das pessoas, o desenvolvimento da síndrome aumenta com o envelhecimento. O risco aumenta se a pessoa tem uma vida sedentária, se tem aumento do peso corporal, principalmente na região abdominal, histórico de diabetes mellitus na família, níveis elevados de gordura no sangue e pressão alta (hipertensão arterial).

A maioria das pessoas que tem a Síndrome Metabólica não apresenta sintomas até que lhe ocorra uma doença grave, como as doenças cardiovasculares e o diabetes mellitus. Assim, não existe um único critério aceito universalmente para definir esta síndrome.

 

Como o médico diagnostica a Síndrome Metabólica?
Apresentar três ou mais dos fatores acima sinaliza a presença de resistência à insulina.

Grande quantidade de gordura abdominal (em homens com cintura maior que 102cm e nas mulheres com cintura maior que 88cm).
Baixo HDL ou "bom colesterol" (em homens com menos que 40 mg/dl e nas mulheres com menos do que 50 mg/dl).
Triglicerídeos elevados a 150 mg/dl ou superior.
Pressão sanguínea alta, superior a 135/85 mmHg.
Glicose elevada a mais de 110 mg/dl.


Como o médico trata a Síndrome Metabólica?
A realização ou o aumento da atividade física e a perda de peso são as atitudes mais adequadas no tratamento da Síndrome Metabólica, mas pode ser necessário usar medicamentos para tratar os fatores de risco. Entre eles estão os chamados "sensibilizadores da insulina", que ajudam a baixar a açúcar no sangue, os medicamentos para pressão alta e aqueles para baixar a gordura no sangue.


Como evolui a Síndrome Metabólica?
A mortalidade geral na Síndrome Metabólica é duas vezes maior que na população normal e a mortalidade cardiovascular é três vezes maior.


Como prevenir a Síndrome Metabólica?
Perder peso e praticar alguma atividade física são as melhores formas de prevenir e tratar a Síndrome Metabólica. Detectar precocemente o problema pode reduzir o aparecimento de futuras doenças cardíacas e do diabetes mellitus.

 


Fonte: ABCMED, 2017. "Síndrome Metabólica - como ela é? Quais as consequências de não tratá-la?". https://goo.gl/n8HAaf

"O conteúdo disponível neste website tem caráter estritamente educativo e informativo. Seus artigos, matérias e notícias visam fornecer informações que possam auxiliar no esclarecimento de dúvidas em relação às medidas preventivas para saúde, exames diagnósticos, tratamentos e a problemas diversos relacionados com a saúde. Não é finalidade deste website, representando o médico Dr. Rodrigo Pereira Paez, a análise, comentário ou emissão de qualquer tipo de diagnóstico. Os conteúdos aqui apresentados não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de médicos, psicólogos e nutricionistas ou outros especialistas. Consulte sempre o seu médico. As imagens fotográficas das publicações, artigos, matérias ou notícias são meramente ilustrativas."

Rodrigo Paez
Rodrigo Paez

Formado pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) - Escola Paulista de Medicina e especialista em Cirurgia Cardíaca, Cardiovascular, Endovascular e Marcapassos. Adepto da cirurgia cardíaca minimamente invasiva é pesquisador do estudo multicêntrico Bypass, que reune os melhores centros de cirurgia cardíaca do Brasil.

  • Compartilhe este post