Cardiologia e Cirurgia Cardiovascular

Publicações

Notícias e artigos sobre saúde, bem-estar, tratamentos cardiovasculares e medicina preventiva
Conheça a Valvuloplastia, cirurgia responsável pela correção um defeito do coração.
Conheça a Valvuloplastia, cirurgia responsável pela correção um defeito do coração.

A Valvuloplastia é um procedimento invasivo realizado, normalmente, com anestesia geral.

A valvuloplastia é a cirurgia realizada para correção de um defeito em uma válvula do coração para que a circulação sanguínea ocorra corretamente. Essa cirurgia pode envolver apenas o conserto da válvula danificada ou a sua substituição por outra feita de metal, vinda de um animal como porco ou vaca ou de um doador humano que faleceu.

 

Além disso, existem diferentes tipos de valvuloplastia de acordo com a válvula que apresenta defeito, pois existem 4 válvulas cardíacas: a válvula mitral, a válvula tricúspide, a válvula pulmonar e a válvula aórtica.

 

A valvuloplastia pode ser indicada em caso de estenose de qualquer uma das válvulas, que consiste no seu espessamento e endurecimento, dificultando a passagem do sangue, em caso de insuficiência de qualquer uma das válvulas, que ocorre quando a válvula não fecha totalmente, havendo retorno de um pequeno volume de sangue para trás ou em caso de febre reumática, por exemplo.

 

Tipos de valvuloplastia

 

As valvuloplastias podem ser classificadas de acordo com a válvula danificada, sendo chamadas de:

 

    • Valvuloplastia mitral, em que o cirurgião repara ou substitui a válvula mitral, que tem a função de permitir que o sangue passe do átrio esquerdo para o ventrículo esquerdo, impedindo que retorne para o pulmão;

 

    • Valvuloplastia aórtica, em que a válvula aórtica, que permite a saída do sangue do ventrículo esquerdo para fora do coração está danificada e, por isso, o cirurgião reparada ou substitui a válvula por outra;

 

    • Valvuloplastia pulmonar, em que o cirurgião repara ou substitui a válvula pulmonar, que tem a função de permitir a passagem do sangue do ventrículo direito para o pulmão;

 

    • Valvuloplastia tricúspide, em que a válvula tricúspide, que permite que o sangue passe do átrio direito para o ventrículo direito está danificada e, por isso, o cirurgião tem que reparar ou substituir a válvula por outra.

 

A causa do defeito na válvula, a sua gravidade e a idade do paciente determinam se a valvuloplastia será de reparação ou de substituição.

 

Como é feita a Valvuloplastia

 

A valvuloplastia normalmente é feita com anestesia geral e um corte no tórax para o cirurgião observar todo o coração. Esta técnica convencional é utilizada especialmente quando se trata de uma substituição, como no caso de uma insuficiência mitral grave, por exemplo.

 

Porém, o cirurgião pode optar por técnicas menos invasivas, como:

 

    • Valvuloplastia por balão, que consiste na introdução de um cateter com um balão na ponta, normalmente pela virilha, até ao coração. Depois do cateter estar no coração, é injetado contraste para o médico poder ver a válvula afetada e o balão é insuflado e desinsuflado, de forma a abrir a válvula que se encontra estreitada;

 

    • Valvuloplastia percutânea, em que é introduzido um pequeno tubo pelo tórax em vez de ser feito um corte grande, diminuindo a dor após a cirurgia, o tempo de internamento e o tamanho da cicatriz.

 

Tanto a valvuloplastia por balão como a valvuloplastia percutânea são utilizadas em casos de reparação, como para tratar uma estenose aórtica, por exemplo.

 

 

Fonte: Tua Saúde. "Valvuloplastia: o que é, tipos e como é feita". Por Ana Luiza Lima. Autorizado sob licença CC BY-ND 3.0 BR.

"O conteúdo disponível neste website tem caráter estritamente educativo e informativo. Seus artigos, matérias e notícias visam fornecer informações que possam auxiliar no esclarecimento de dúvidas em relação às medidas preventivas para saúde, exames diagnósticos, tratamentos e a problemas diversos relacionados com a saúde. Não é finalidade deste website, representando o médico Dr. Rodrigo Pereira Paez, a análise, comentário ou emissão de qualquer tipo de diagnóstico. Os conteúdos aqui apresentados não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de médicos, psicólogos e nutricionistas ou outros especialistas. Consulte sempre o seu médico. As imagens fotográficas das publicações, artigos, matérias ou notícias são meramente ilustrativas."

Rodrigo Paez
Rodrigo Paez

Formado pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) - Escola Paulista de Medicina e especialista em Cirurgia Cardíaca, Cardiovascular, Endovascular e Marcapassos. Adepto da cirurgia cardíaca minimamente invasiva é pesquisador do estudo multicêntrico Bypass, que reune os melhores centros de cirurgia cardíaca do Brasil.

  • Compartilhe este post