TAVI - Implante de Válvula Aórtica Transcateter

Cardiovascular
Procedimento: TAVI - Implante de Válvula Aórtica Transcateter

TAVI - Implante de Válvula Aórtica Transcateter

Estenose Aórtica é uma doença bem mais comum nos idosos. O tratamento com TAVI - Implante de Válvula Aórtica Transcateter - trouxe uma nova oportunidade para esses pacientes mais frágeis, com comorbidades, de maneira rápida e segura.

 

A Estenose Aórtica é uma doença muito incapacitante e os medicamentos conseguem prorrogar a cirurgia somente por algum tempo. A cada descompensação que a doença acarreta, a qualidade de vida do paciente diminui, os medicamentos aumentam, as internações se tornam frequentes e o paciente torna-se mais limitado fisicamente. Cansaço para pequenos esforços e infecções pulmonares (pneumonias) se tornam rotineiras.

 

Habitualmente, os sintomas de Estenose Aórtica levam a uma internação, na qual o pulmão ficou “cheio de água” e foi descoberta uma “válvula fechada”. De forma geral, os médicos podem aconselhar que uma intervenção cirúrgica convencional é arriscada, pois pacientes de alto risco têm escore STS acima de 8% de mortalidade.

 

O medo da cirurgia tradicional (abrir o peito) assusta os idosos. As Cirurgias Minimamente Invasivas ficaram atraentes, mas ainda impõem o uso da circulação extracorpórea ao idoso.

 

Sim, o real tratamento é cirúrgico (minimamente invasivo) e apresenta poucos sintomas, como cansaço, dor no peito, síncopes ou pré-síncopes (lipotímias).

 

O TAVI - Implante de Válvula Aórtica Transcateter - é a colocação de uma nova válvula aórtica no coração, biológica, de pericárdio bovino, na maioria das vezes.

 

A colocação dessa válvula é bem rápida e ocorre via cateter, percorrendo seu caminho até o coração pelas artérias periféricas (Femoral, Subclávia, Carótida, Via Aorta) ou até pela ponta do coração (TAVI Apical), nos pacientes com problemas de circulação nas pernas (Arteriopatia Periférica, Síndrome de Leriche, Cirurgias Vasculares Prévias). O procedimento não utiliza circulação extracorpórea e o paciente vai extubado para a UTI. A estadia hospitalar depende de vários fatores, porém existem casos de alta hospitalar no dia seguinte, em menos de 48 horas.

 

Atualmente temos quatro modelos de TAVI no Brasil: os balão-expansíveis (um modelo nacional e outro importado) e os auto-expansíveis (importados). Novos produtos devem ser inseridos no mercado em breve. Esses dois tipos de TAVI têm indicações diferentes, conforme a anatomia do Complexo Valvar Aórtico do paciente. Uma Angiotomografia de Aorta sincronizada do coração (protocolo TAVI) é convenção para indicar qual modelo é o melhor e mais adequado para cada paciente. A escolha e planejamento de um modelo adequado para cada perfil de paciente é fundamental para um procedimento de sucesso e boa recuperação.

 

Estudos recentes (Partner II e Partner III) confirmaram que a TAVI é indicada também para pacientes de moderado risco (escore STS 4-8%) e de baixo risco (escore STS menor que 4%).

 

Por que não usamos as TAVIs em todos os pacientes com Estenose Aórtica?

 

Porque relaciona-se com a duração da válvula. Ainda não existem estudos finalizados que definem a duração de uma prótese TAVI.

 

Conforme mencionado anteriormente, o pericárdio utilizado atualmente nas TAVIs é o bovino (mais fino) sem tratamento anti-calcificante. As próteses para cirurgia tradicional disponíveis no mercado, com uma linha de tratamento anti-calcificante, custam entre R$ 12.000,00 e R$ 25.000,00, e duram entre 15 a 30 anos. Hoje em dia, existem próteses biológicas aórticas cirúrgicas no mercado brasileiro com duas linhas de tratamento anti-calcificante. Pacientes entre 60 e 70 anos, podem garantir mais qualidade de vida com uma prótese cirúrgica de longa duração. Já em pacientes com menos de 60 anos, a prótese mecânica pode ser uma opção e gerar bons resultados, embora a preferência por uma biológica de longa duração deve ser respeitada naqueles que querem evitar os anticoagulantes.

 

Para pacientes com Ectasia de Aorta, Dilatação de Aorta e Aneurisma de Aorta Ascendente o procedimento de TAVI pode não ser viável. Esse problema acontece com frequência em pacientes que apresentam a Válvula Aórtica Bicúspide com Dilatação da Aorta Ascendente. Diretrizes atuais (SBCCV, europeia e americana) recomendam, de forma imperativa, a troca da Aorta Ascendente quando ela for maior que 45 mm em pacientes com Estenose Aórtica e indicação de troca desta válvula, quando houver Válvula Aórtica Bicúspide.

 

O procedimento de TAVI pode ser realizado por cardiologistas hemodinamicistas ou cirurgiões cardíacos, mas sempre decidido por um Heart Team - conceito atual de “time cardíaco” composto pelo hemodinamicista, cirurgião cardíaco, cardiologista ecocardiografista e anestesista. Os hemodinamicistas podem realizar a TAVI pela Artéria Femoral (TAVI Femoral). O cirurgião cardiovascular pode oferecer o procedimento de TAVI Femoral, de TAVI Apical (ponta de coração) e também disponibilizar acessos alternativos (Subclávia e Carótida) para pacientes mais complexos.

 

Marque sua consulta com um cirurgião cardiovascular e leve seu Ecocardiograma e o resultado do cateterismo, se houver. Discuta todas as possibilidades para seu caso (TAVI Femoral, Apical, Via Aorta, acesso alternativo, Cirurgia Minimamente Invasiva ou convencional).

 

Sua idade não é restrição para o tratamento. Você pode se beneficiar com esses novos recursos.

Consultas

Agende sua consulta. Entrarei em contato com você para confirmação.

Envie sua mensagem